4 INVENÇÕES

Project Description

4 Invenções
para clarinete e acordeão
ou
clarinete e piano

  • data de composição: 2015/2017 | adap. 2018 para clar. & pno.
  • duração: ca. 12:30 min. (2’+ 4’30”+ 4’+ 2’30”)
  • dedicatórias:
    • III. Improviso:
      «Para o Yin Yang duo (Inês Arede e Catarina Silva). Com votos de muitos sucessos futuros!»
    • IV. Funky (originalmente Funky miniature):
      «Para o Sérgio Neves, com amizade!»
    • versão para clarinete e piano:
      «Dedico esta versão para clarinete e piano aos meus colegas, e amigos de longa data,
      Victor Pereira (clarinete) e Vítor Pinho (piano).»
  • andamentos:
    I – Ecstatic
    II – Cadenzas
    III – Improviso
    IV – Funky 
  • estreias parciais:
    • 25/Julho/2015 | Madrid / Espanha, Centro Cultural Conde Duque (no âmbito do ClarinetFest 2015 / Congresso Mundial do Clarinete) | (Des)Concertante Duo [Sérgio Neves/ clarinete; Carisa Marcelino/ acordeão] — apenas Funky (como Funky miniature)
    • 20/Fevereiro/2018 | Lisboa/Portugal, Museu Nacional de Arte Antiga | Yin Yang duo (Inês Arede/ clarinete; Catarina Silva/ acordeão) — apenas Ecstatic
  • estreia oficial [versão completa em 4 andamentos]:
    • versão clarinete e piano:
      15/Maio/2018 | Porto, Casa da Música, Sala 2 | Victor Pereira (clarinete); Vítor Pinho (piano)
    • versão clarinete e acordeão:
      9/Julho/2018 | Ostende / Bélgica, Kinepolis Room 2 (no âmbito do ClarinetFest 2018 / Congresso Mundial do Clarinete) | (Des)Concertante Duo [Sérgio Neves/ clarinete; Carisa Marcelino/ acordeão]

 


A história das 4 INVENÇÕES começa ao contrário. Em 2015 o meu amigo e colega clarinetista Sérgio Neves, com quem colaboro em diversos projectos há já vários anos, desafiou-me a escrever uma miniatura para dueto de clarinete e acordeão, com o intuito de ele e a acordeonista Carisa Marcelino estrearem no âmbito do ClarinetFest’2015 (Congresso Mundial do Clarinete), a decorrer em Madrid, Espanha. O resultado foi «Funky miniature», mas desde logo fiquei com a ideia que gostaria de desenvolver mais a minha escrita para esta formação instrumental tão incomum. Em 2017, e já depois de ouvir as talentosas alunas da Universidade de Aveiro Inês Arede (clarinete) e Catarina Silva (acordeão) tocarem tão bem aquela minha primeira pequena peça em diversos concursos, decidi então recuperar a intenção inicial de desenvolver a obra, e alarguei-a acrescentando três novos andamentos: Ecstatic, Cadenzas e Improviso. Na verdade, e fazendo plenamente jus à história ao reverso, a ordem de composição destes três novos andamentos foi exactamente a inversa (ImprovisoCadenzasEcstatic), sendo que a «Funky miniature» original passou a chamar-se apenas «Funky», e tomou o seu lugar como quarto e último andamento do ciclo.

Cada uma destas quatro peças tem o seu mundo próprio e cria o seu ambiente particular. Desde a energia rítmica de Ecstatic, à plasticidade métrica de Funky, passando pela estaticidade de Cadenzas ou a introspecção de Improviso, uma e cada qual almeja a sua vida própria, constituindo um pequeno quadro musical com uma história e particularidades intrínsecas. Ainda assim houve três preocupações primordiais na concepção do conjunto: 1) dar momentos de destaque ao clarinete; 2) dar momentos de destaque ao acordeão; 3) criar momentos de diálogo e interacção entre os dois instrumentos. A escrita para o acordeão, com as suas quase infinitas possibilidades tímbricas, foi ao mesmo tempo uma preocupação (o que fazer com toda aquela panóplia de registos disponíveis?!) mas também um desafio! E apesar de todas as explicações, esta continua a ser música pura e abstracta, que deve ser usufruída pelo simples prazer de se ouvir.

O alinhamento proposto pelo autor (IEcstatic; IICadenzas; IIIImproviso; IVFunky), é meramente indicativo, pois cada um dos andamentos é uma peça autónoma e auto-suficiente, podendo por isso ser executada independentemente, conjugada apenas com alguma(s) outra(s), ou até mesmo a totalidade delas noutro ordenamento diferente do aqui sugerido, à escolha dos intérpretes, considerando as especificidades únicas de cada concerto ou recital.

Em 2018, a pedido dos também meus amigos e colegas Victor Pereira (clarinete) e Vítor Pinho (piano), realizei uma adaptação desta obra para clarinete e piano, a ser estreada por aqueles intérpretes num recital na Casa da Música (Porto). Exigiu um trabalho minucioso de reconversão da parte de acordeão às especificidades do piano, e se bem que o conteúdo musical da obra tenha permanecido inalterado, esta adaptação exigiu igualmente alguns pequenos ajustes de pormenor à parte de clarinete, por forma a manter orgânica a coerência do discurso musical neste novo formato instrumental.

Luís Carvalho (2018)


comprar partitura/materiais:
[brevemente]

ouvir:
versão clarinete e acordeão
https://www.dropbox.com/s/mf062bfg5nivcgw/4%20Inven%C3%A7%C3%B5es%20%28por%20Yin%20Yang%20duo%29.wav?dl=0

[intérpretes: Yin Yang Duo // Inês Arede, clarinete | Catarina Silva, acordeão]

===================================================================================

versão clarinete e piano
https://www.dropbox.com/s/5b65kbulh8fhl7s/4%20Inven%C3%A7%C3%B5es%20%28cl.%26pn.%29.m4a?dl=0

[intérpretes: Victor Pereira, clarinete | Vítor Pinho, piano]

Leave a Reply